Covid-19, a razão do Sindicato dos Guardas Prisionais

Ao fim e ao cabo o sindicato dos Guardas Prisionais, e como nós eles também lamentarão terem razão e há um  total de 248 casos de covid-19 na rede de estabelecimentos prisionais do país, entre  80 trabalhadores e 168 reclusos, dos quais 148 estão na cadeia feminina de Tires.

Assim o afirmou a Direção-Geral de Reinserção e Serviços Prisionais (DGRSP) à Lusa sendo que dos 80 trabalhadores infetados, 52 são guardas prisionais, 14 profissionais de saúde, sete técnicos profissionais de reinserção social, três auxiliares técnicos, dois professores, um auxiliar de cozinha e um segurança de empresa privada, e 168 dizem respeito a detidos, nomeadamente às 148 reclusas do Estabelecimento Prisional de Tires e mais duas crianças.

Aliás no mesmo estabelecimento estão  ainda  infetadas cinco guardas prisionais, duas profissionais de saúde e uma auxiliar de cozinha de empresa externa e as duas crianças que acusaram positivo pelo novo coronavírus foram observadas na terça-feira numa consulta hospitalar de pediatria e regressaram ao estabelecimento prisional onde se encontram em isolamento na companhia das respetivas mães.

Segundo a direção-geral, vai realizar-se nos próximos dias “a nova testagem das reclusas do Estabelecimento Prisional de Tires que agora acusaram ser negativos” e no estabelecimento Prisional de Lisboa, começaram hoje a ser testados 200 reclusos e 30 profissionais identificados como contactos de risco de seis detidos, colocados nos serviços clínicos, que deram positivo.

Embora assintomáticos, os seis reclusos com teste positivo foram encaminhados para o Hospital Prisional de São João de Deus, em Caxias.

Entretanto, Portugal tem hoje mais 82 mortos relacionados com a covid-19, o maior número de casos num só dia desde o início da pandemia, e 4.935 novos casos de infeção com o novo coronavírus, segundo a DGSaúde (DGS).

Fonte:https://estrategizando.pt/2020/11/11/covid-19-a-razao-do-sindicato-dos-guardas-prisionais/