Funcionárias infetatadas n​​​​​​em sempre usavam máscara durante o trabalho na cozinha do hospital e prisão.

O Sindicato Nacional do Corpo da Guarda Prisional está preocupado com os casos positivos de Covid-19 na prisão de Caxias.

Em declarações à TSF, o presidente do sindicato, Jorge Alves, explica que três funcionárias infetadas com o novo coronavírus trabalhavam em simultâneo na cozinha do hospital prisional de Caxias e na prisão, em contacto com reclusos e com guardas prisionais, quando podiam já estar infetadas.

Jorge Alves, teme, por isso, que o numero de casos de Covid-19 em Caxias seja muito maior.

“Há o risco de haver muito mais infetados porque fomos informados que as senhoras, na maior parte das vezes, não usavam máscara de proteção. Os guardas eram os únicos que que usavam máscara na cozinha.”

O Sindicato Nacional do Corpo da Guarda Prisional espera que sejam realizados testes a todos os funcionários, tanto na prisão como no hospital prisional de Caxias.

Fonte:https://www.tsf.pt/portugal/sociedade/sindicato-dos-guardas-prisionais-teme-que-sejam-mais-os-casos-de-covid-19-em-caxias-12347202.html