Fotografia gerou uma onda de indignação e foi aberta uma investigação. Conclusões levaram o governador da Virginia Ocidental a despedir os 34 guardas prisionais em treino e também o seu instrutor

O governador da Virgínia Ocidental despediu os 34 guardas prisionais estagiários que foram fotografados a fazer uma saudação nazi. Foi também demitido o instrutor do grupo e castigados outros quatro instrutores, atualmente suspensos, sem direito a remuneração.

A decisão foi anunciada esta segunda-feira, depois de Jim Justice ter recebido um relatório que apurou que os guardas em causa faziam regularmente a saudação nazi “como um sinal de respeito” pelo instrutor.

A fotografia gerou uma onda de indignação generalizada, com o governador a condenar a imagem “da forma mais veemente possível”. Na imagem, os rostos dos cadetes apareciam desfocados.

No comunicado agora divulgado, Justice lembra como desde logo afirmou que o incidente requeria “consequências reais”, traduzidas em rescisões e demissões.

“Este tipo de comportamento não será tolerado durante a minha supervisão em nenhuma agência do governo estadual”, garantiu.

O relatório determinou que um número não identificado de estagiários da Classe 18 da Academia começou a usar o gesto – que não aparece identificado como nazi – na segunda ou terceira semana de treino, “como um sinal de respeito”. Outros colegas começaram a imitá-los.

A investigação apurou também que “vários cadetes reconheceram a saudação pelas suas implicações históricas, recusando seguir a turma”.

Ainda que a conclusão considere não existirem dúvidas quanto ao gesto e a fotografia com a mensagem ‘Hail Byrd’ [Byrd é o sobrenome do instrutor] serem “altamente ofensivos”, o relatório afirma que não foi identificada nenhuma motivação ou intenção explícita de que este fosse um ato discriminatório em relação a qualquer raça, religião ou grupo étnico”.

Fonte:https://expresso.pt/internacional/2019-12-31-Despedidos-os-guardas-estagiarios-que-foram-fotografados-a-fazer-a-saudacao-nazi