Os reclusos do Estabelecimento Prisional de Izeda, em Bragança, uma cadeia com cerca de 300 presos, recusaram-se esta sexta-feira a regressar às celas após o almoço, alegando querer que lhes fosse distribuído tabaco. Ao que o Correio da Manhã apurou, foram chamados guardas de folga, para conseguir dissuadir os detidos, e fazer com que os mesmos regressem às celas. Foi mesmo queimado um caixote do lixo no pavilhão B da prisão. A situação acalmou um pouco, sem notícia de outros casos de violência. Os reclusos aceitaram voltar às celas há poucos minutos. No entanto, a direção da cadeia pondera se irá autorizar o recreio para os mesmos, marcado para as 15h00. Recorde-se que continuam em vigor períodos de greve dos guardas prisionais. O Sindicato Nacional da Guarda Prisional iniciou esta sexta-feira, e termina na segunda-feira, mais um período de paralisação. O Sindicato Independente da Guarda Prisional também se encontra em greve. Contactada pelo Correio da Manhã, a Direção-geral dos Serviços Prisionais ‘desmente’ a ocorrência de distúrbios, confirmando no entanto que “foram queimados papéis dentro de um caixote do lixo, situação que acabou por ser resolvida”.

Fonte: https://www.cmjornal.pt/portugal/detalhe/reclusos-recusam-se-a-voltar-as-celas-apos-almoco-na-cadeia-de-izeda-em-braganca