Profissionais deixaram o serviço antes da hora prevista, por não concordarem com as novas escalas, o que resultou em distúrbios causados pelos reclusos

Os guardas prisionais do Estabelecimento Prisional de Lisboa (EPL) que se recusaram a cumprir um horário alargado, que ficou estabelecido por novos escalas desde janeiro, vão ser alvo de processos disciplinares, segundo o diretor-geral dos Serviços Prisionais, Celso Manata, em declarações ao Expresso.

“Alguns guardas largaram o serviço contra o que estava estabelecido”, disse Celso Manata ao mesmo jornal.

Fonte:http://www.sncgp.pt/wp-admin/post-new.php

Adicionar Comentário

O seu email não será publicado. Os campos marcados são obrigatórios *