Rendas altas provocam decisão. Espaço no Parque das Nações, em Lisboa, foi inaugurado por José Sócrates, em 2009

O Governo pretende retirar os tribunais e os serviços centrais da Justiça do Campus de Justiça, no Parque das Nações, em Lisboa. Em causa estão os cerca de 12 milhões de euros anuais que são gastos em rendas, avança o Eco.

Existe, então, um “Plano de relocalização dos tribunais do Campus de Justiça de Lisboa e dos serviços centrais do Ministério da Justiça”, de acordo com o mesmo site.

Num documento explicativo do Orçamento de Estado 2018, o gabinete de Francisca Van Dunem anuncia a medida.

Os edifícios onde funciona o Campus de Justiça, inaugurado por José Sócrates, em 2009, quando este era primeiro-ministro, eram propriedade de um fundo da Segurança Social, tendo passado há pouco tempo para uma empresa francesa.

O Eco diz ainda que o objetivo será criar um novo espaço que seja do Estado.

Retirar tribunais do Parque das Nações pode sair caro

Francisca van Dunem, ministra da Justiça, já havia colocado em cima da mesa a hipótese de retirar os tribunais e outros serviços do Campus de Justiça, que é composto por 11 edifícios. Disse então que “tal como noutros sítios”, era necessário “fazer análises financeiras e ver se há alternativas mais amigáveis do ponto de vista financeiro”.

Como o DN noticiou na altura, sair do Parque das Nações pode sair bastante caro. Isto porque, em 2008, o governo de José Sócrates e o fundo imobiliário proprietário dos edifícios em questão assinaram um documento que prevê o pagamento de todas as rendas até ao final do contrato, no ano 2028, em caso de saída antecipada do inquilino.

Fonte:https://www.dn.pt/sociedade/interior/governo-quer-tirar-tribunais-e-servicos-centrais-do-campus-de-justica-8906185.html

Adicionar Comentário

O seu email não será publicado. Os campos marcados são obrigatórios *